Homem assedia jovem dentro de ônibus e apanha da vítima – veja vídeo

Nas imagens, suspeito aparece com o zíper da calça aberto

Um vídeo que está circulando nas redes sociais mostra a revolta de uma jovem ao ser assediada por um homem, dentro de um ônibus urbano, na cidade de Maceió (AL). Nas imagens, é possível ver o momento em que a vítima começa a gritar com o suspeito, que aparece com o zíper da calça aberto.

Absurdo! Assédio dentro do ônibus em Maceió/AL

Absurdo! E se fosse com você?Um vídeo divulgado nas redes sociais, nesta terça-feira (14), mostra a reação de uma estudante vítima de assédio dentro de um ônibus em Maceió. A jovem bate, dá joelhadas e pede respeito a um homem que teria mostrado seu órgão genital para ela, enquanto se masturbava dentro do coletivo.Nas imagens é possível notar que o homem está com zíper da calça aberto, segurando uma mochila, enquanto a jovem estapeia seu rosto. Também é possível ouvir o apelo dos passageiros para que o motorista não abra a porta do coletivo e evite a fuga do suspeito. No entanto, apesar dos apelos, a porta é aberta e o suspeito deixa o ônibus correndo.Empresa Real Alagoas, que faz a linha Eustáquio Gomes / Iguatemi. Ainda segundo internautas, a jovem estava indo para a Universidade Federal de Alagoas (Ufal), onde estuda.#compartilhem

Posted by Cultura.AL on Tuesday, August 14, 2018

Os passageiros do coletivo pedem que o motorista não abra a porta, para que a polícia seja acionada. Não é o que acontece e, para desespero da jovem, o homem consegue escapar. Além da vítima, nenhuma das testemunhas esboçou reação para tentar conter o acusado, que ainda não foi identificado.

Até a manhã desta quarta-feira (15), a Polícia Civil informou que ter recebido queixa sobre o caso. “A medida imediata naquele momento era acionar a guarnição [da polícia], para que a mais próxima fosse até o local; e que aquelas pessoas, até o próprio condutor, tendo ciência do que estava acontecendo, também encontrassem meios de fazer com que aquele homem que cometeu esse ato permanecesse no local e não fugisse, como aconteceu”, orienta a vice-presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB-AL, Ana Carolina Fidélis de Lima, conforme o portal G1.

Ela destaca a importância de não deixar de fazer a denúncia, além de lembrar que a vítima não deve se colocar em situação de risco. “Em situações análogas, é importante que saibam que existe uma punição que deve ser dada pelo Estado. A gente não entende que a punição deve ser dada com as próprias mãos, mas que haja uma punição por meio da denúncia, para que haja uma apuração”, conclui a advogada.

João Alberto

Jornalista: DRT 0008505/DF. Radialista, Escritor e Poeta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *